Skip to content

Noticias

Dino D’Santiago apresenta o novo álbum no Porto e em Lisboa

Dino D’Santiago sobe ao palco do Hard Club (Porto) no dia 27 de Outubro, para actuar no âmbito do evento Enchufada na Zona. O cantor e compositor apresentará o novo álbum ao vivo na edição de 2018 do Super Bock Em Stock, que terá lugar na Av. da Liberdade (Lisboa) nos dias 23 e 24 de Novembro.

“Nôs Funaná” e “Nova Lisboa” são os temas que servem de apresentação e antecipam o novo álbum de originais de Dino D’Santiago,”Mundu Nôbu” com edição marcada para 19 de Outono de 2018.

Com este novo lançamento, Dino D’Santiago apresenta-nos uma viagem rítmica que parte de Cabo Verde e nos convida a segui-lo num percurso musical maior. “Nôs Funaná” é o ponto de partida para a celebração de uma carreira plural, marcada pelos ritmos que unem a Cidade da Praia, Lisboa, Rio de Janeiro e Luanda. Se o título nos aponta para o energético estilo musical até agora definido pelo repicar do ferrinho e gaita a velocidades vertiginosas, Dino D’Santiago introduz o vagar da kizomba com brilhos electrónicos na equação, simultaneamente celebrando e subvertendo referências musicais que fazem cada vez mais sentido juntas, como nos tem vindo a mostrar desde sempre.

Como “Nôs Funaná”, o mais recente “Nova Lisboa” e restantes temas que serão brevemente apresentados, Dino D’Santiago aponta novos caminhos para as linguagens rítmicas que definem as cidades que o inspiram, celebrando uma visão pessoal da crioulofonia com um hino global tão híbrido como a língua  da terra da morabeza em que o canta.

Já vimos Dino D’Santiago navegar por tantos géneros musicais ao longo da sua carreira que há muito que deixou de fazer sentido enumerá-los. Na era em que nos encontramos, onde ser plural é sinónimo de música de nicho, a verve camaleónica de DINO sempre levantou mais questões do que forneceu respostas. É Prince ou é Jorge Neto. É Bulimundo ou Earth Wind & Fire. É World Music ou é Hip Hop? Como se fosse impossível ser duas coisas e multiplicar por mais. Tanto nos seus álbuns como nas dezenas de participações que assina, Dino D’Santiago é mestre em eliminar fronteiras.